6 de abr de 2013

Fanfic sobre o casamento de Harry e o convite mandado para o Snape!!!


Estava quente como numa manha de primavera. Embora já fosse inverno, o sol pairava sobre as paredes do castelo. Não eram nem cinco horas da manha e Severo Snape já estava de pé. Como todos os diretores faziam,ele estava em seu gabinete e de repente lhe ocorreu um pensamento súbito: mergulhar na Penseira e ver todas as memórias possíveis com relação a Lílian Evans. Mas logo esse pensamento se dissolveu e ele abriu a porta de seu gabinete e foi andar pelo castelo.

O castelo estava bem mais iluminado do que de custume,e o sol estava brilhando como nunca vira antes.Severo Snape logo pensou que teria um ótimo dia,mas por qual motivo teria um bom dia, se tudo que tinha lhe fora arrancado na noite em que Lílian Evans morreu? Contudo,Snape havia cumprido o seu dever: proteger o único primogênito dela. É claro que essa não fora uma tarefa fácil, Snape quase morreu muitas vezes e a última fora quando conseguira escapar da cobra de Lord Voldemort.

Já aviam se passado 9 anos desde a "Guerra Final" e Snape se sentia feliz pelo fato de tudo estar bem. Mas o vazio que nunca conseguira e que nunca mais conseguirá preencher iria consumi-lo até o fim de seus dias. Contudo,Snape olhou para o jardim,que tantas vezes se sentara com Lílian,e uma pequena lágrima escorreu pelo seu rosto magro até atingir os lábios, onde e enxugou. Em seguida, seguiu para o seu gabinete. Precisava tomar uma Poção Calmante, antes que todas as memórias viessem à retornar, e ele desabasse em lágrimas no meio do castelo.
Depois da sua longa caminhada pela escola e de todas as lembranças e pensamentos,Severo Snape estava de volta ao seu gabinete com um cálice vazio em sua mão.A Poção Calmante lhe fizera muito bem e agora estava se sentindo mais disposto.O diretor pôs o cálice sobre a mesa e começou a caminhar pelo gabinete em direção a porta,mas ao colocar a mão sobre a maçaneta,lembrou-se de que tinha que responder uns papéis que o Ministério lhe enviara.Ele deu de costas para a porta e caminhou quase que apressadamente até a mesa.De dentro da gaveta retirou uma pilha de pergaminhos enrolados,e abriu cuidadosamente cada um deles e respondeu-os.Quando pôs o último pergaminho enrolado dentro da gaveta,ele se lembrou que deveria comparecer ao café-da-manhã de Hogwarts, já que quase nunca comparecia,teve a sensação de que seria bom,pelo menos desta vez,comparecer e ver como se comportariam os alunos ou professores nesse lindo dia de inverno.Ele caminhou a passos largos até a porta,abriu-a e desceu até o Salão Principal.
Ao chegar lá,viu que muita comida estava sobre a mesa,e a verdade era que a Poção Calmante levara sua fome embora,mas gostou de comer uns morangos mergulhados em calda de chocolate que estavam a sua frente.

–Bom dia,diretor!-exclamou Luna Lovegood

–Bom dia,professora Lovegood.- respondeu quase que simpaticamente Snape.

–O senhor está tão bem hoje,diretor.-disse Luna- Algum motivo especial?

–Não vejo que tenha que ter um motivo especial para uma pessoa estar se sentindo bem hoje-disse friamente Snape- Afinal,para um dia de inverno,estar ensolarado e bonito é quase um milagre.

–Milagre é você estar tomando café conosco,Severo- disse a professora Trelawney- A que se deve esse fato extraordinário?

–Como já disse à Srtª Lovegood-ele fez um gesto com a cabeça- Não precisa haver um motivo especial para eu querer tomar café com os meus colegas.

Ah,sim-murmurou a professora

–Bom dia a todos.-exclamou o feliz Neville Longbottom-está um dia lindo,não?

–De fato,Neville,de fato-respondeu Luna-Por que você está tão feliz? Parece que o tempo bom deixou as pessoas mais alegres hoje,não?

–Acho que sim,Luna,mas eu estou feliz com a notícia que recebi ontem,bem tarde da noite.

–E o que era?

–Recebi o convite de casamento de Harry e Gina.Eles vão se casar numa cerimônia dupla com Rony e Mione.

Por um momento,Snape congelou.Harry.Só poderia ser Harry Potter.Harry Potter ia casar.Como era possível.Como assim?

–Sério?! Que notícia ótima.Estou tão feliz.

–Sim,Luna.Ele me pedia pra lhe entregar o seu convite deles.-Neville tirou um envelope lacrado com a escrita em dourado e entregou à Luna- Aqui está o seu,professora Trelawney,e o seu professor Flitwick.

–Ah,que maravilha!-exclamaram os dois professores

Parecia que Snape nem estava alí.E como um fantasma,afastou sua cadeira e saiu da mesa,e,aparentemente,ninguém sentiu nem ia sentir a sua falta no café- da-manhã.

Snape estava de volta ao seu gabinete.Nunca estivera tão irritado com Potter antes.Potter,não o convidara ao seu casamento? Potter não sentia gratidão pelo que ele havia feito a vida toda? Talvez Potter só achasse que ele fizera isso por pura diversão ou...craque

O candelabro que estava sobre a mesa sofrera com a fúria de Snape,Ele tinha colocado toda a sua raiva naquele golpe quase que infantil.

Reparo.- disse,quase que subitamente.

No momento que quase resolvera preparar novamente uma Poção Calmante,a porta do gabinete se abriu e da porta surgiu uma mulher.Uma mulher que já fora uma menina. Snape conhecia muito bem essa menina.Uma menina que era inteligentíssima,mesmo sendo nascida trouxa.Snape logo se lembrou da cor e da forma de seus olhos,e da cor de seus cabelos,embora eles estivessem com um corte diferente.

Depois de um segundo,a mulher disse:

–Professor Snape?Posso entrar?

–Srtª Granger?Claro que sim.Entre por favor.

Hermione Granger se adiantou e sentou na poltrona a frente do diretor.Ele estava bem diferente do que era quando era aluna dele.Agora,Snape não tinha os cabelos tão oleosos,e Hermione podia ver claramente que alguns fios brancos brotavam na nuca do ex-professor. Snape parecia admirado com a presença da moça.

–O que a traz aqui depois de todos esse anos,Srtª Granger?Veio visitar o professor Longbottom ou a professora Lovegood?

–Na verdade-disse Hermione com um largo sorriso no rosto-Não.

Ela riu-se

–Estou aqui porque Harry me pediu para lhe entregar o convite do nosso casamento.Quero dizer,não meu e de Harry.Meu com Rony e Gina com Harry.-ela entregou ao professor o envelope lacrado com a escrita em dourado-Vai ser n'A Toca.

–Ah,sim-disse o feliz Snape-Vai ser quando?

–Daqui a duas semanas.Posso contar com a sua presença?Sabe,Harry gostaria muitíssimo que o senhor fosse.Ele disse que precisa conversar com o senhor,e que gostaria que o senhor presenciasse esse momento tão especial para ele.

–De fato estamos precisando conversar.-ele se levantou,e começou a caminhar lentamente até a parta,seguido por Hermione-Diga ao senhor Potter que eu estarei lá.

–Sério?-perguntou Hermione muito alegre

–Certamente-respondeu Snape,e Hermione podia ver que um sorriso discreto tinha brotado no canto dos lábios do antigo professor.

–Então até lá,professor.

–É claro.Até lá Srtª Granger.

Snape fechou a porta do gabinete e retirou a varinha do bolso interno das veste.Apontou-a diretamente para a cabeça e retirou uma memória,que depositou na Penseira.Estava pronto para deixar as lembranças ruins de lado,para se concentrar na conversa que teria com Harry Potter depois de seu casamento.
Snape nunca estivera tão feliz em toda a sua vida.Parecia que durante muitos anos da sua vida esperasse por aquele acontecimento,e de repente,se realizasse.De fato,Snape parecia que estava gostando da ideia de se encontrar com Potter,os Weasley e os Granger. Mas,-pensou- eu sempre os odiei por fazerem me lembrar de Lílian,e agora eu estou feliz em encontrar com eles.O que há de errado comigo?

Snape estava muito ansioso para o casamento de Harry,embora ele fingisse que estava indiferente.Mas,como um ótimo e excepcional oclumente,ele estava conseguindo se controlar,ouvindo as conversas de Luna e Neville,que não palavam de outra coisa senão do casamento.

A semana não passava de jeito nenhum,e Snape continuava em seu estado ansioso.Ainda mais quando ouviu Luna perguntar a Neville na sala dos professores:

–Neville,o que vai dar de presente aos meninos?

–Não sei não,Luna.Estou procurando algo que sei que eles irão precisar.Sabe,alguma coisa útil.E você? O que vai dar a eles?

–Vou dar um presente feito por mim.Sei que Harry gosta de coisas excêntricas.Vou procurar algo mais "comum" para Rony e Mione.Eles não entendem como as coisas diferentes podem ter grandes significados.

–Não sei o que comprar.Definitivamente não sei.

Se Neville não sabia o que comprar,muito menos Snape.O que iria comprar? Não tinha pensado nisso antes.Talvez o salário que recebera durante todos anos como diretor ,que nunca tinha gasto com nada importante poderiam lhe dar uma ajuda.Já sei-pensou Snape- vou sair amanha e irei até o Beco Diagonal.Com certeza acharei algo lá.

Como o resto da semana,o dia passou lentamente.E quando se dera conta,já era manhã do outro dia,o dia que deveria comprar um presente de casamento a Potter e Weasley.Quando terminou o café da manhã,voltou para o seu gabinete e vestiu a capa de viagem.quando estava saindo da escola,ouviu a voz da professora McGonagall :

–Severo!vai a algum lugar?

–Ah,sim Minerva-disse Snape,tranquilamente-Estou saindo Alguma objeção?

–Ora,é claro que não.-respondeu desgostosa-Queria saber se posso ir com você.Preciso comprar o presente de Potter e Weasley. Creio que saiba que eles irão se casar.

–Óbvio que sei,estava indo comprar o presente deles agora mesmo.Mas,me responda Minerva,você não tem que dar aula?

–É claro - disse animada - que não.Os alunos estam prestando exames.

–Ah,sim,tinha me esquecido.

–Hm..-murmurou Minerva

–Vamos então?

–Sim,vamos- a professora acenou a varinha e a capa de viagem verde esmeralda se materializou em seu corpo.

–Só vou lhe avisando,Minerva-disse Snape sem olhá-la- que terei que passar no Gringotes antes.

–Não tem problema.Quer que eu lhe espere?

–Por favor,Minerva.Não faço ideia do que comprar- disse quando estavam caminhando juntos em direção ao povoado de Hogsmeade.

–Não há problema,Severo-disse a professora quase rindo- Te ajuderei a comprar o presente para o seu protegido.

Snape olhou com uma cara de zangado para ela,que estava a essa altura quase explodindo em risadas,mas se conteve após olhar a cara de desgosoto de Snape.

Snape e Minerva aparataram numa rua de Hogsmeade e logo estavam no Beco Diagonal.os dois,sem dizer uma única palavra,caminharam juntos até o banco dos bruxos,Gringotes.Eles entraram e caminharam lentamente até um duende,que imediatamente chamou outro,para acompanhar os dois professores de Hogwarts até os seus devidos cofres.
Depois de apanhar uma quantia um tanto quanto grande de galeões,Snape deixou o seu cofre e foi novamente para a entrada do Gringotes.A professora Minerva estava a porta do local,com um saquinho que também continha galeões.
Eles,então,começaram a andar pelo Beco Diagonal e logo Minerva se interessou por um artefato um tanto quanto comum:Um pomo de ouro.Mas não era qualquer pomo de ouro.Era um pomo de ouro bem maior que o normal.Ele era quase do tamanho de um caldeirão de estanho tamanho padrão 2.A professora entrou na loja e procurou o atendente,enquanto Snape ainda estava lá fora apenas observando a vitrine.
A professora viu que o Pomo de ouro grande se abria e revelava um almofada.Isso mesmo,uma almofada.Minerva achou interessante e percebeu que ficaria muito bonito na decoração da casa.Afinal,o casal que estava comprando o presente era um dupla muito boa de apanhadores.Por fim,ela perguntou o preço.Ela se assustou ao ouvir o que o atendente lhe disse mas logo pensou –Devido às circustâncias...
Ela pagou os 56 galeões e saiu da loja.Quando saiu,não viu o professor de cabelos negros.Ela o procurou por muito tempo mas não o encontrava definitivamente.Resolveu,então,ir comprar o presente para Weasley e Granger.Ela comprou para os dois um faqueiro talhado a mão por duendes,de cor prateada e que continha minúsculos rubis na parte de baixo.
Mas como não encontrara Snape em lugar nenhum,resolveu voltar a escola.
Ao chegar lá,viu que o professor de cabelos nem tão negros,agora, com duas sacolas a mão e correu apressadamente para o encontro dele.
–Severo!Severo...você está aqui.Aonde esteve?Procurei-o por todo lugar.
–Ah..ah resolvi comprar o presente em outro local-respondeu-desculpe sair se avisar.Agora preciso mesmo voltar ao meu escritório.
–Ah,sim..
Ela voltou para sua sala e Snape,para o gabinete.
Minerva ficou intrigada com a resposta do ex-mestre de poções.Porque ele saira do Beco Diagonal sem avisar a ninguém?Porque ele queria voltar apressadamente até seu escritório?Porque estava tão esquisito desde o dia que Hermione lhe entregara o convite? Bom– pensou ela- Snape sempre fora esquisito,desde que era criança–,mas Minerva tinha se acostumado com o jeito sério e frio de ser do professor.Mas agora,parecia que Minerva nunca conhecera Snape,como se ele tivesse mudado,como se ele não fosse mais ele...

Snape passou o resto da noite em seu gabinete,fazendo alguma coisa que ninguém sabia o que era e muito menos iria se arriscar a perguntar.Ele não desceu para o café,o que era comum,mas quando os elfos foram levar o café até lá,encontraram nada mais nada menos do que Snape ,desacordado.Não pareciaa estar dormindo,parecia que fora estuporado ou coisa do tipo.
Os elfos saíram loucos atrás de alguém,e a primeira pessoa que encontraram foi a diretora da Grifinória:
–Senhora,senhora - disse o elfo - o diretor está desacordado lá na sala dele.
–Tem certeza de que ele não está dormindo?
–Absoluta! Ele não estava de pijama,estava com a capa preta e sombria de sempre.
Ela chamou os outros professores e juntos foram até lá.Snape,desacordado,estava caído no chão perto da Penseira,que estava brilhando,então Minerva sabia que ele tinha conultado velhas memórias.O diretor foi levado até a sala hospitalar onde recebeu todo o atendimento que Madame Pomfrey poderia lhe dar.Ele ficou lá,desacordado por 3 dias exatos,quando abriu os olhos,só conseguiu distinguir a pessoa que lá estava por seus olhos.
Lílian– foi o primeiro pensamento que lhe ocorreu - Eu morri? Você veio me buscar?
Quando abriu completamente os olhos,lá se via Potter,Granger e os dois Weasley mais novos.Junto com quase todo o corpo docente da escola.
–Se sente melhor,Severo?- perguntou delicadamente Minerva
– Como está,professor?- perguntou Harry
–Me sinto melhor,mas - respondeu Snape - por que eu estou aqui? O que aconteceu?
De repente, ele se lembrou da última coisa que fizera.Snape estava com o rosto todo molhado de lágrimas e ele retirava uma memória de sua cabeça para depoistar na Penseira.
Vai ser a última vez,pensava
Na ala hospitalar,todos viram que a cor que reaparecera em Snape nesse minuto se perdeu de novo.
–Está tudo bem? - perguntou Harry mais ansioso,temia ouvir a resposta
–Eu..eu..-e Snape desmaiou de novo.Enquanto todos se desesperavam com Snape e o que poderia ter acontecido à ele,ele estava em seu próprio devaneio.Pensava em Lílian,e a última vez em que tocou na sua pele,na última vez que ele tinha lhe dirigido a palavra,da última vez que se sentira mais vivo.
Snape sabia o que estava acontecendo com o seu corpo.Sabia que seu corpo não aguentava mais tanta carga emocional como antes.Eram muitas emoções misturadas.Felicidade e alegria.Tristesa e remorso.Rancor,raiva,ódio.
Ele acordou de novo,desta vez só estava Minerva o observando:
–Severo...-chamou ela baixinho
–Cha...me Po..Potter-disse ele com esforço
–O que?
–Chame Potter,Minerva.Potter
–Ah,sim...-ela saiu apressada e voltou com o menino.
No instante em que os olhos de Harry e Snape se encontraram,Harry vira Snape fazer uma coisa que nunca pensou que ele faria,pelo menos não na sua frente.
Snape sorriu ao encontrar os olhos de Harry.Não um sorriso forçado,nem com ar de desdém...um sorriso verdadeiro,que não passou despercebido de Harry,que retribui o sorriso tão intensamente quanto Snape.

Espero que vocês tenham gostado da fanfic...Sei que é uma fic muito grande mais pra quem gosta muito de ler não vai ser tão grande assim.
 

Um comentário:

  1. Só isso? Haam eu adorei, kkkkkk isso não é uma fanfic e sim uma Fanfiction Fanática! LOL

    ResponderExcluir